A RECICLI recicla pneus, recuperando as matérias primas usadas em sua fabricação.

A borracha vem do látex natural ou sintético, que tratada por vulcanização, que lhe confere resistência, permite fabricar pneus. Sendo produtos derivados da borracha, juntamente com aço e tela de tecidos (lona), após o final de sua vida útil, os pneus, enquanto resíduos, geram graves impactos sanitários e ambientais.

São estruturas difíceis de serem eliminadas: quando enterrados e compactados inteiros, os pneus tendem a voltar à sua forma original e retornam à superfície, causando uma movimentação no solo (Gomes et al, 1993).

 

 

Pneus sem serventia, se armazenados inteiros ocupam inutilmente grandes espaços. Se desintegrados para serem enterrados em aterros sanitários, aumentam muito o custo de sua operação, além de ocuparem volume razoável, dada a quantidade usada em veículos (cerca de 100 milhões de pneus/ano no Brasil).

 

Descartados em pilhas, tornam-se locais ideais como criadouro de insetos, diversos vetores de transmissão de doenças, entre eles o Aedes aegypti, mosquito transmissor  de doenças. Se queimados os pneus liberam um material oleoso, análogo ao petróleo, que pode contaminar aquíferos subterrâneos e águas superficiais, tornando-a imprópria para o consumo (IPT, 2000).

A RECICLI recicla pneus, recuperando as matérias primas usadas em sua fabricação.

Cuidamos inicialmente de mais de 356.000 pneus/ano. Nossas tecnologias permitem separar a borracha, recuperar suas propriedades originais antes da vulcanização, e obter separadamente o aço e a lona.

Dos pneus reciclados, fabricamos novos produtos, para construção, utilidades e peças automotivas, dando uma utilização sustentável para pneus descartados.