A RECICLI cuida de reciclar vidros, efetuando sua cominação e fusão, moldagem e extrusão.

O vidro é um material obtido a partir da fusão de sílica e outros minerais, resfriado até uma condição de rigidez, sem se cristalizar. O vidro não é poroso, resistindo a temperaturas de até 150 oC sem deformar, podendo ser reutilizado várias vezes para a mesma finalidade. Tendo uma estrutura molecular amorfa, o vidro pode ser reciclado infinitas vezes sem perder qualidade nenhuma, bastando para isso ser devidamente separado em três cores, verde, branco e marrom.

A descoberta do vidro é atribuída aos fenícios que, casualmente, o descobriram há cerca de quatro mil anos quando faziam fogueiras na praia. Acidentalmente fogueiras de maior temperatura fundiram a areia, gerando um material transparente e sólido. Os diversos tipos de vidros são derivados de areia, ou sílica, substância formada por silício. Sírios, fenícios e babilônios já utilizavam o vidro desde 7.000 a.C.. No Egito antigo, por volta do ano 1.500 a.C., o uso do vidro se difundiu, na forma de adornos pessoais, joias e embalagens para cosméticos. Sendo civilização dominante, os egípcios popularizaram o vidro e a sua técnica de fabricação para outros povos.

 

 

 

 

A RECICLI cuida de reciclar vidros, efetuando sua cominação e fusão, moldagem e extrusão. Nesse processamento, com capacidade de reciclagem de 6.500 ton/ano, a RECICLI efetua a industrialização, em uma implementação de reversão logística, dos diversos tipos de vidros, fornecendo pós de vidros para outras indústrias e produzindo garrafas, laminados de vidros, e embalagens diversas deste material.

Nesse processamento integra tecnologias já conhecidas, de domínio público, com as suas próprias, patenteadas, associada à geração própria de energia por meio de fontes limpas e renováveis, como na patente INPI BR 102017006048-9.

 

 

A produção de vidros no Brasil está na ordem de 980 mil toneladas por ano, usando cerca de 45 % de matéria-prima reciclada na forma de cacos. O ideal é o emprego de 60 a 80 % de vidros reciclados na fabricação de vidros novos. O índice alemão de reciclagem de vidros é 81 %, e o sueco é de 95 %.
No Brasil, todos os produtos feitos com vidros correspondem em média a 0,3 % dos resíduos urbanos. Cerca de 240 mil ton/ano.

Há muito a fazer na reciclagem de vidros, e as cooperativas de catadores dificilmente encontram compradores para os vidros que coletam.

Se lançados na natureza, vidros levam de 6.000 a 1 milhão de anos para se decomporem.