RECICLI RECICLAGEM INDUSTRIAL

Profissionais com longa experiência em suas áreas de atuação, criadores de tecnologias para favorecer a relação saudável das pessoas e da empresas com o Meio-Ambiente.

Para a RECICLI o cuidado com a Natureza, a preservação dos ecossistemas e a responsabilidade social caminham de mãos dadas. A RECICLI considera que a economia deve se relacionar de forma sustentável e saudável com tudo que compõe a Natureza: ser ambientalmente sustentável é fator  fundamental de nossos indicadores de bons resultados. Cuidar da reciclagem de resíduos sólidos, e desenvolver e implementar tecnologias benéficas para o meio-ambiente, é o negócio da RECICLI.

Somos uma startup de reciclagem industrial e atua a partir da integração de uma Central (Usina) de Reciclagem Industrial (CRI) com Unidades de Recepção, Triagem, Tratamento e Pré-processamento (UTPs) de resíduos sólidos, urbanos e industriais. Focamos na presente etapa na reciclagem de Resíduos de Equipamentos Eletro-Eletrônicos (REEE) também chamado de lixo de eletrônicos (E-lixo), composto por computadores, notebooks, tablets, celulares, DVDs, e outras utilidades de alta tecnologia.

As UTPs, unidades de concentração e descaracterização de equipamentos, funcionam de forma descentralizada em relação à CRI, Central de reciclagem efetiva deste E-lixo. As UTPs permitem a captação destes resíduos em áreas de abrangência, fornecendo insumos à CRI, gerando PRODUTOS FINAIS, matérias-primas e insumos para fornecimento a outras industriais.

São produzidos produtos e matérias primas obtidos de metais, plásticos, e  vidros, componentes dos equipamentos presentes do E-lixo.

Futuramente serão implantadas linhas de reciclagem de pneus e produtos de borracha, outros eletrodomésticos, bem como produtos para construção e obra, calçamento e pavimentação, fertilizantes orgânicos para a agricultura, insumos para escritório dentre outros. Todos reciclados e a preços competitivos com os convencionais.

A implantação de sistemas de geração de energia limpa e de sequestro de gases de efeito estufa tem sido uma outra frente de operação da RECICLI, e protótipos associados com esse desenvolvimento tecnológico têm sido desenvolvidos e, partes dessa tecnologia, a SiCSeGe, já está em experimentação e cumprindo programa de ensaios em laboratório, para sua operação comercial futura, inicialmente projetada para abastecer a demanda de energia da própria CRI e da UTPs da RECICLI, provando sua viabilidade comercial.

A empresa, fundada oficialmente em 2017, já nasceu com mais de doze anos de trabalho, pois herdou o desenvolvimento de tecnologias patenteadas pelo seu sócio e Diretor de Inovação e Tecnologia, Flávio Pietrobon Costa, como resultado do seu trabalho em diferentes laboratórios universitários. Desde 2015, mesmo antes de oficializar seu CNPJ, a empresa vem recebendo suporte e mentoria empresarial na incubadora do Parque Tecnológico SergipeTec, na região metropolitana de Aracaju. Ou seja, a RECICLI tem em si o DNA do conhecimento e da inovação.

Esse trabalho tem como inspiração contribuir para a solução de um dos maiores problemas contemporâneos: o lixo. Especialmente porque não existem empresas no Norte-Nordeste especializadas em reciclagem industrial. E além de inovar para ocupar esse espaço importante, a RECICLI se posiciona apoiando os atores que fazem parte da cadeia de Gestão de RSU, principalmente as Cooperativas de Reciclagem.

Apoiamos Prefeituras – prestando consultoria e gerando impostos; Concessionárias – aumentando a vida útil dos aterros; Sucateiros – comprando materiais pré-processados por valores justos; e Cooperativas – com formação de uma linha de reciclagem hoje inexistente para a maioria delas, a de REEE, e através da cessão de EPIs e apoio à formação em gestão, segurança do trabalho e à saúde.

Além de não competir com quem já faz parte do mercado, atuamos ajudando a melhorar a performance de cada um deles.

MISSÃO

Atuar na Reciclagem Industrial de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) e industriais (RSI) de forma inovadora e responsável (social e ambientalmente), contribuindo para o desenvolvimento da Logística Reversa e da Economia Circular.

VISÃO

Ser referência internacional na Reciclagem Industrial de RSU e RSI e no desenvolvimento de inovações sustentáveis.

VALORES

• A Humanidade e o Planeta são interconectados e interdependentes.
• O Trabalho deve proteger o equilíbrio ambiental e a Vida.
• Nossos(as) Colaboradores(as) são o nosso maior ativo.
• Inovar para construir um mundo mais Sustentável.
• Economia Circular e Logística Reversa.

Tipos de RSU que reciclamos

Resíduos Sólidos Urbanos (RSI), Industriais (RSI), e Rurais (RSR), de Classe II, não perigosos, inertes e não originados do sistema de saúde.

Nossa prioridade atual:

  • Resíduos de Eletrônicos: computadores, notebooks, tablets, celulares, DVDs ;
  • Componentes eletrônicos: CPUs, PCI (placas de circuitos integrados), pentes de memória, processadores, placas-mãe.

Por que ? Porque esses materiais contém substâncias e metais que, se livremente depositados no Meio-Ambiente ou em Aterros Sanitários, geram danos à saúde humana, doenças neurológica ou gastrointestinais, alergias ou tumores,  e para evitar isso nós trabalhamos para diminuir a possibilidade de que isso ocorra. Colabore: doe à RECICLI seu eletrônico que já não funciona ou você não usa mais, pois assim evitamos que ele tenha um destino ruim para o Planeta, os Ecossistemas, a Natureza e às Pessoas.

Futuramente também reciclaremos outros resíduos Classe II:

  • Papéis
  • Plásticos e petroderivados
  • Pneus
  • Resíduo de Construção e Demolição
  • Metais: ferrosos e não-ferrosos
  • Vidros e silicoderivados

os quais podem ser processados industrialmente, gerar matérias primas às indústrias, e incorporados a produtos atuais ou a novos produtos obtidos a partir de materiais reciclados: a RECICLI inova em processos e produtos.

Esta classe de RSU / RSI inclui também material de poda, madeiras, folhas e galhos, como sub-tipo entre os materiais orgânicos. Estes futuramente irão ser compostados pela RECICLI para obter fertilizante natural orgânico para agricultores familiares, pequenos produtores e povos tradicionais, permitindo que alimentos mais saudáveis cheguem às pessoas a preços reduzidos.